postado por Carolina Moreira e categorizado como Matérias
31.07.2020

É verão neste momento no Hemisfério Norte. Normalmente, com as férias escolares e o clima quente, é a época perfeita para muitas famílias viajarem, seja por perto ou então para outros países, como é comum na Europa.

No entanto, a pandemia da Covid-19 mudou os planos de todos. Nesta época do ano, era comum William e Kate viajarem com as crianças para a ilha de Mustique, localizada no Caribe, ou passar alguns dias na França.

Desta vez, eles optaram por passar alguns dias nas Ilhas da Sicília, perto da costa da Cornualha, no Reino Unido.

Fontes afirmam que se eles saíssem do Reino Unido, seu retorno ao trabalho seria mais demorado, por conta da quarentena obrigatória.

As Ilhas da Sicília

Segundo reportagem do Mirror, o Duque e a Duquesa de Cambridge cumprimentaram os habitantes locais enquanto passeavam de bicicleta pela deslumbrante ilha de Tresco ontem (30).

Um turista disse: “William e Kate estavam andando de bicicleta, rindo. Eles pareciam tão felizes aproveitando o clima. […] Eles foram muito amigáveis e disseram olá.”

Uma fonte disse: “Eles decidiram fazer uma viagem rápida antes que as crianças voltassem à escola. Eles estavam interessados em apoiar nosso turismo. ”

Espera-se que a família retorne para sua casa de campo, Anmer Hall, em Norfolk, nesta sexta-feira.

William foi fotografado quando garoto nas Ilhas da Sicília em junho de 1989, durante uma viagem em família com seus pais, Charles e Diana, e seu irmão caçula, Harry.

Em 2016, William e Kate fizeram uma visita oficial às Ilhas da Sicília.

postado por Carolina Moreira e categorizado como Vídeos
25.07.2020

Na semana passada, a Duquesa de Cambridge participou do programa matinal britânico BBC Breakfast, no qual ela conhece famílias que fazem parte da iniciativa Tiny Happy People (Pequenas Pessoas Felizes, em tradução livre), que recebeu o apoio da Duquesa recentemente.

Assista ao vídeo completo e legendado:

postado por Yasmin Souza e categorizado como Eventos, Matérias
24.07.2020

O Palácio de Kensington revelou na noite de 23 de Julho que a The Royal Foundation of The Duke and Duchess of Cambridge (Fundação Real do Duque e da Duquesa de Cambridge, em tradução livre) concedeu 1,8 milhões de libras em subsídios para apoiar a comunidade da linha de frente e a saúde mental do país, através de um fundo sob medida, criado em resposta ao COVID-19.

As doações foram feitas a dez instituições de caridade importantes que foram fundamentais na batalha contra a Covid-19 nos últimos meses. De acordo com o foco de longa data da Fundação no apoio à saúde mental, áreas-chave foram identificadas e escolhidas para se beneficiar da soma substancial. O fundo de resposta – em colaboração com o National Health Service – fornecerá aconselhamento individual sobre trauma por luto da Hospice UK a todos os trabalhadores da linha de frente. Além disso, um quarto de milhão de socorristas de todo o Reino Unido terá acesso a apoio de colegas e treinamento em saúde mental do programa de apoio à saúde mental Mind’s Blue Light, com base no serviço já disponível.

Pontos notáveis das bolsas concedidas incluem: “The Ambulance Staff Charity poderá fornecer 2.780 horas adicionais de apoio à comunidade de ambulâncias do Reino Unido. Campaign Against Living Miserably (CALM) poderá responder a mais de 2.300 contatos por mês. O Shout poderá ter mais 250 conversas por mensagem de texto com pessoas que lutam para lidar todos os dias. ” Em termos de instituições de caridade com quem Kate trabalhou em estreita colaboração, professores, crianças e pais serão apoiados por seus patrocínios, a Place2Be e o Anna Freud Center. Enquanto isso, 20.000 novas mães serão apoiadas pelo Best Beginnings, graças a um projeto comunitário de treinamento em saúde mental para alcançar mulheres grávidas e novos pais.

O The Mirror fornece mais informações :

Paul Farmer, CEO da Mind, disse: “Estamos muito satisfeitos por receber esse financiamento da Fundação Real.

“A concessão ajudará muito a continuar a prestar apoio àqueles que trabalham nos serviços de emergência, por meio do nosso Programa Blue Light.

“É tão importante, talvez agora mais do que nunca, que as informações, conselhos, serviços de suporte e treinamento adequados sejam facilmente acessíveis aos nossos trabalhadores trabalhadores, principalmente aqueles que talvez estejam com problemas de saúde mental”.


No início desta semana, William e Kate se reuniram na propriedade de Sandringham com quatro representantes  de organizações que se beneficiam das doações – dois conselheiros de saúde mental e dois atendentes de emergências. Eles ouviram sobre os desafios com os quais estão lidando e suas opiniões sobre os próximos meses.

O Príncipe William disse: “É ótimo saber como a Fundação Real está apoiando você e muitos outros a desenvolver resiliência e fornecer as redes de que você precisa por meio do COVID-19 Response Fund, que ajudará dez instituições de caridade importantes a continuar seu trabalho crucial“.

A Duquesa acrescentou: “Todos nós admiramos o trabalho incrível que a equipe da linha de frente e as equipes de emergência estão realizando em resposta ao COVID-19, mas sabemos que para muitos deles a pandemia terá um impacto duradouro em sua saúde mental.

A revista Hello! compartilhou mais comentários de instituições de caridade envolvidas :

Alison Baum, diretora executiva da Best Beginnings, disse: “A pandemia levou a um aumento considerável dos níveis de ansiedade e isolamento para pais em todo o Reino Unido e, em colaboração com muitas instituições de caridade e profissionais da linha de frente, estamos aqui para ajudar. Esse financiamento vital nos permitem oferecer um programa envolvente de divulgação digital, bem como treinamento em saúde mental materna com voluntários e parteiras do Home-Start “.

Para o encontro com os representes da organizações, a Duquesa usava um lindo vestido por Suzannah, sapatos  Castaner, brincos Daniella Draper e bracelete Sézane Paris.

Confira as fotos em HQ do evento:

postado por Yasmin Souza e categorizado como Matérias
16.07.2020

Artigo escrito pelo jornalista Jonathan Reed e postado na The Rumble Online

Como a Duquesa de Cambridge provou que ela nunca foi “Waity Katy”, como ela foi votada como o membro da realeza mais popular da nação.

Estampada no meio de um jornal, a manchete ‘O triunfo de Waity Katy (“Kate que espera”, em tradução livre)’ foi colocada ao lado de uma silhueta recortada da charmosa Kate Middleton. Usando um vestido curto e brilhante, botas e seu cabelo icônico e lustroso; a jovem namorada do Príncipe William parecia cada com uma jovem decidida a conquistar seu futuro rei. O artigo, escrito em 2008, a jovem de 26 anos como uma mulher determinada, cujo único objetivo na vida era casar com um futuro herdeiro do trono, e cujas aspirações não passavam da vida privilegiada da realeza. Mais de uma década depois, ao assumir a coroa de o membro mais popular da realeza, a Duquesa de Cambridge provou que está longe da imagem de “Waity Katy” colocada à força sobre ela.

Em 2008 o Daily Mail estampou o apelido e fotos de Kate em seu jornal

Após as revelações do relacionamento de William e Catherine em 2004, quando foram publicadas fotos do casal esquiando, a mídia do mundo procurou incansavelmente para descobrir todos os pequenos detalhes de informações sobre a mulher que havia capturado o coração do príncipe. Desde sua formação familiar, o curso que ela estudava na Universidade de St. Andrews, até qual era sua marca de moda favorita; da noite para o dia, a vida de Kate Middleton se tornou a história mais interessante do mundo. Fora do apartamento que ela dividia com a irmã em Londres, ela era perseguida incansavelmente pelos paparazzi, evocando as experiências da mãe do namorado, a falecida Princesa Diana. Essa mulher de classe média,filha de um piloto da British Airway e de uma empresária bem-sucedida, e sem vínculos hereditários com a aristocracia, foi subitamente a mercadoria mais lucrativa da mídia.

Daqui em diante, a cobertura de Kate ficou distorcida de quem realmente era a futura Duquesa. Tímida, excessivamente ambiciosa e descrita como alguém cujo objetivo na vida era “casar-se, ter uma bela casa, dois cachorros e esquiar todos os anos”, eram brincadeiras feitas constantemente. Um artigo, que ridicularizou a jovem como incapaz de manter um emprego depois que ela deixou de trabalhar para a varejista Jigsaw, afirmou que Kate não estava deixou o emprego por não estar acostumada com o “trabalho duro“. A realidade da partida de Kate foi muito diferente. Todos os dias, a futura Duquesa era bombardeada com fotógrafos a perseguindo quando saia para o trabalho. Os fotógrafos a esperavam do lado de fora dos escritórios da empresa em Londres, e por isso ela sentiu que a situação não era viável – não apenas para si mesma, mas também para seus colegas, conforme explicado por Belle Robinson, que ofereceu o emprego a Kate.

Kate sendo fotografada enquanto ia trabalhar na Jigsaw

Ela ficou realmente arrasada por sair e ficamos tristes ao vê-la partir”, lembra ela. “Eu tenho que dizer que fiquei tão impressionado com ela. Houve dias em que havia equipes de TV no estacionamento. E nós dizíamos a ela: ‘Escute, você quer sair pela porta dos fundos?

E ela dizia: ‘Para ser sincero, eles vão nos perseguir até que consigam as fotos. Então, por que não vou, deixo eles tirarem a foto e depois eles nos deixam em paz?

Ela entendia que sua foto seria tirada, mas ela sempre se sentiu desconfortável que nós que trabalhamos com ela também tivéssemos a nossa tirada. Ela não achava justo nos colocar nessa posição.

Essa imagem foi exemplificada pelas inúmeras fotos de Kate festejando com amigos em Chelsea e Soho. Alguns dentro dos círculos reais sentiram que suas ações estavam contaminando a monarquia e, por extensão, o Príncipe William. Ironicamente, os amigos de William riram dessas suposições, alegando que Kate era talvez a mais sensata do grupo:

Era William e os meninos que costumavam beber um pouco demais. E se os paparazzi aparecessem, a bebida lhe daria coragem para responder às câmeras. Kate era geralmente quem encontraria o humor em toda a situação. Ela poderia acalmá-lo instantaneamente como ninguém e constantemente o lembraria de que ele era um jovem rapaz se divertindo com seus amigos. Ela estava longe de manchar a imagem de William, mas sim protegê-la.”

A maioria vai achar as fotos de Kate festejando com os amigos muito longe de ser controversas. Ela era jovem, bonita e estava se divertindo – ações que estavam longe de ser um escândalo. Mas, novamente, em particular as fotos a irritavam, deixando a sensação de que a estavam pintando algo que não era verdadeiro. Ela constantemente se absteve de reagir, acreditando que qualquer resposta perpetuaria as histórias. Mesmo após o breve rompimento entre Kate e William, os jornalistas entrariam em contato com ela tentando obter informações privilegiadas. Ela sempre recusava, sua lealdade ao seu então ex-namorado continuou inabalável.

Contra a imagem pública de uma jovem Kate Middleton festejando, desconhecida do público e principalmente da imprensa, estava o trabalho de Catherine que ficou longe das colunas dos jornais.

Ela se ofereceu como voluntária na Naomi’s House, um hospital para crianças, em visita particular em 2008. Ela organizou inúmeros leiloes e eventos para arrecadar dinheiro para caridade. Um deles é para Tom’s Ward, no Children’s Hospital, em Oxford, e também uma pequena instituição de caridade conhecida que acabaria por desempenhar um papel importante na futura vida real da DuquesaPlace2Be. Levantando mais de 100.000 libras, a discoteca, planejada por Kate, então forneceu algumas das fotos mais icônicas da Duquesa de Cambridge antes de seu casamento. Ela utilizou seu diploma de História da Arte para criar uma exposição fotográfica inclusiva, visando intencionalmente aqueles de comunidades não representadas. Organizou um leilão para a Starlight Children’s Foundation e ajudou a criar o Boodles Boxing Ball – uma noite de luta com membros da alta sociedade que arrecadou mais de £ 200.000.

Kate durante a discoteca que organizou para arrecadar dinheiro para caridade

A imagem pública pintada pela mídia de um futura Duquesa preguiçosa estava longe de ser verdadeira. De qualquer forma, ela nunca teve medo de trabalhar, e se dedicou muito na Party Pieces (empresa da familia) até o noivado. Fazendo turnos de doze horas onde ela ajudava na organização do design do catálogo, marketing e fotografia, Kate trabalhou duro sem reclamar.

Depois do casamento espetacular dela e de William, que capturou a imaginação de uma nação, a recém-ungida Duquesa de Cambridge estava enfrentando uma vida totalmente nova. Embora ela tenha navegado na obsessão da mídia por ela como cidadã privada, como figura pública, seria completamente diferente. Artigos com foco em seu peso, moda e cabelo dominavam os jornais. Ela foi cruelmente rotulada como “princesa de plástico” pela historiadora Hilary Mantel. “Irrepreensível: tão dolorosamente magro quanto alguém poderia desejar, sem peculiaridades, sem esquisitices, sem o risco de surgimento de caráter“, omo historiador a descreveria coa historiadora disse.

A historiadora atacou Kate em 2013 dizendo que ela era “uma princesa de plastico feita para reproduzir”

A insensibilidade dos comentários de Mantel causou fúria por parte do público, que sentiu que a Duquesa não merecia essas provocações duras. E, no entanto, não houve resposta de Catherine ou do Palácio de Kensington. Vários artigos rasgaram o comportamento silencioso de Kate, alegando erroneamente que provava que ela não tinha personalidade. No entanto, em resposta, ela simplesmente continuou seu trabalho com suas instituições de caridade e papel como a próxima Princesa de Gales e futura Rainha consorte. Para Kate, suas ações sempre pareciam falar mais alto que suas palavras. Ela mantem esse mantra até os dias atuais.

Só depois de olhar para a vida pré-real da Duquesa, você percebe que a jovem de Berkshire não mudou. Kate tem sido resolutamente fiel a si mesma com ou sem uma tiara. Isso mostra em sua atitude, casamento, maternidade e trabalho. Mais de uma década depois de trabalhar pela Place2Be, ela agora é sua orgulhosa patrocinadora. Seu amor e habilidade pela fotografia se tornaram uma campanha maravilhosa para capturar a história da Nação durante a pandemia de coronavírus. Ela sempre usou as roupas da Jigsaw como uma homenagem particular ao seu antigo papel funcionaria. Ela transportou e adaptou com sucesso a Kate privada ao mundo como Duquesa pública.

O sucesso disso a levou ao público, mas também a fez receber respeito. A Duquesa demorou um pouco, navegando lentamente pelas regras e protocolos da vida real. Ela raramente reclamou nem procurou os holofotes. Qualquer que seja o compromisso que ela cumpra, seja uma estréia de filme, um evento com nossos heróis de guerra ou uma ligação de Zoom com uma escola primária afetada pela pandemia de coronavírus, ela não erra.

Aqueles que criticaram a Duquesa de Cambridge colocariam essa perfeição percebida em uma estratégia de relações públicas inteligente e complexa. Inferir isso seria mais do que injusto. Obviamente, até certo ponto, as relações públicas são parte da vida de qualquer figura pública, mas é difícil fingir calor e acessibilidade. De uma forma ou de outra, eventualmente o público vê através de qualquer atuação, por melhor que seja. Então, se fosse somente relações públicas, certamente depois de uma década na Família Real, e como uma das mulheres mais famosas do mundo, a máscara de Catherine não teria escorregado? No entanto, depois de todo esse tempo, o público percebeu que não há máscara e isso levou a Duquesa de Cambridge a se tornar o membro mais popular da família real.

Kate em uma das diversas chamadas de vídeo que fez durante a pandemia

Talvez o que torna este título ainda mais digno de Catherine seja o desinteresse dela em alcançá-lo. Ser a mais popular nunca foi uma prioridade para a Duquesa, o que resultou em uma nova confiança. Ao longo da pandemia, vimos uma Kate mais relaxada, uma mulher contente, alguém exatamente como o resto de nós. Mas talvez sua maior conquista tenha sido grosseiramente ignorada.

Para muitos em todo o país, a capacidade de falar em publico com confiança é mais difícil do que para outros, e a Duquesa de Cambridge, sem saber, forneceu conforto. Para essas pessoas, assistir a uma figura pública que possui uma das plataformas mais poderosas, evitando falar muito, mas, ao invés disso, leva um tempo e escolhe seus momentos para falar, prova que você não precisa ser o mais barulhento da sala para ser ouvido. É uma habilidade tragicamente subvalorizada.

A Duquesa de Cambridge é alguém cuja vida e escolhas serão sempre dissecadas. Ela irá, como esperado, dominar o mundo da realeza.

Mas quando você olha para a vida dela, percebe que Kate Middleton nunca foi “Waity Katy“. Ela nunca esperou por um Príncipe, mas provou seu valor como uma mulher independente. Tanto que, o agora o marido dela percebeu rapidamente o erro que cometeu ao encerrar o relacionamento deles anos atrás. A Família Real tem uma força estável em Catherine, onde a instituição colherá os benefícios, mas o público também. Portanto, faz sentido que a garota de Berkshire tenha se tornado o membro da realeza mais popular.

Tradução & adaptação: Equipe Kate Middleton Brasil.

postado por Carolina Moreira e categorizado como Vídeos
15.07.2020

Recentemente, a Duquesa de Cambridge anunciou sua parceria com a BBC através do projeto Tiny Happy People (‘Pequenas pessoas felizes’, em tradução livre), que distribui recursos úteis para o desenvolvimento infantil.

Em vídeo lançado pelo Palácio, Kate aparece conversando com uma repórter da BBC e famílias apoiadas pelo projeto. Assista legendado:

postado por Carolina Moreira e categorizado como Matérias
13.07.2020

A Duquesa de Cambridge falou dos desafios de saber o que fazer como mãe de primeira viagem, dizendo que conselhos são como “ouro”.

A Duquesa, mãe de três filhos, disse que gostaria de ter tido acesso a mais informações sobre desenvolvimento infantil depois do nascimento do Príncipe George, ao receber “dicas e ferramentas” para ajudar os novos pais.

Ela agora ajudou a criar uma nova série de vídeos, jogos e atividades para bebês e crianças pequenas, em parceria com o projeto Tiny Happy People (‘Pequenas pessoas felizes’, em tradução livre) da BBC.

Falando antes do lançamento, ela disse: “São informações que eu gostaria de ter tido como mãe pela primeira vez. É realmente de ouro para as famílias receberem dicas e ferramentas para poder usar, principalmente nos primeiros cinco anos”.

A iniciativa Tiny Happy People, que durará cinco anos, é um recurso on-line criado pela BBC para apoiar as habilidades de linguagem e comunicação de crianças de 0 a 4 anos de idade.

A Duquesa visitou a BBC em novembro para ajudar a trabalhar no “desenvolvimento de personagens e fundos” para vídeos animados, incluindo guias sobre como conversar e cantar para bebês, a fim de impulsionar o desenvolvimento.

A Duquesa disse: “Famílias e cuidadores estão no coração de nutrir a próxima geração de adultos felizes e saudáveis, mas às vezes pode ser difícil saber para onde recorrer para obter conselhos.”

Tiny Happy People é um recurso inestimável que fornece aos pais e responsáveis apoio e dicas, além de atividades simples para garantir que as crianças desenvolvam as habilidades linguísticas necessárias para que tenham o melhor começo de vida possível.”

“Estou muito satisfeita por ter feito parte de sua jornada e espero que as famílias em todo o Reino Unido gostem de explorar os recursos”.

Um porta-voz da BBC disse: “No centro da iniciativa está uma mensagem simples – converse com crianças o mais cedo possível”.

O site promete uma variedade de filmes, artigos, questionários e dicas para os pais gratuitos para ajudar a nutrir a linguagem das crianças a partir da gravidez.

A Duquesa se encontrou com famílias que o testaram, incluindo um pai, chamado Ryan, que descreveu a “enorme quantidade” que ele aprendeu para ajudar sua filha Mia, de oito meses de idade.

Em uma entrevista à BBC Breakfast, que será transmitida na íntegra na manhã de terça-feira no Reino Unido, a Duquesa disse: “Nos primeiros meses [após o nascimento], há uma enorme quantidade de apoio de parteiras e visitantes de saúde.”

“Mas a partir de então, há uma lacuna enorme antes de começarem a escola”.

Lord Hall, diretor-geral da BBC, disse: “Não poderíamos estar mais orgulhosos do papel que estamos desempenhando nesta parceria incrível.”

“Crescer feliz e saudável é o maior presente que podemos dar a qualquer criança. Esta campanha incorpora a nossa missão de informar, educar e divertir.”

“A BBC criou centenas de vídeos e conteúdo escrito que, esperamos, fará uma diferença real.”

 

Fonte: The Telegraph