Biografia

Catherine Elizabeth Middleton nasceu em Reading, Berkshire, Reino Unido, em 9 de Janeiro de 1982, filha de Carole e Michael Middleton, uma comissária de bordo e um despachante de vôo da British Airlines.

Catherine, como era chamada pelos amigos e familiares até a época da faculdade, é a primogênita do casal Middleton. Ela possui dois irmãos mais novos, Pippa e James.

Quando Kate ainda era pequena, a família Middleton mudou-se para Amã, na Jordânia por conta do trabalho do pai. Eles viveram lá durante cerca de dois anos e meio. Kate foi matriculada em um berçário, onde conheceu crianças de várias partes do mundo e era ensinada em inglês e árabe. No verão de 1986, a família Middleton retornou para sua casa em Bradfield, Berkshire, Inglaterra.

Naquela época, a mãe de Kate, Carole, começou a vender saquinhos de doces e lembrancinhas de aniversário às mães dos colegas de escola das filhas. O negócio evoluiu, e ela abriu seu própria marca de artigos de festas infantis, a Party Pieces, tornando a família milionária com o passar dos anos.

Os Middletons possuíam há gerações um fundo destinado a financiar os estudos dos filhos. Acredita-se que quando pequenos, Kate, Pippa e James conseguiram se beneficiar do fundo de educação da família. Ainda pequenas, Kate e Pippa começaram a frequentar a escola preparatória St Andrews em Pangbourne. Lá, elas fizeram muitos amigos e se destacaram na música e no esporte. Kate fez parte dos times de hockey, netball e tênis. Ela gostava tanto da escola que na quarta série, pediu aos pais para tornar-se interna. Apesar de os Middletons serem uma família muito próxima e unida, eles acabaram cedendo aos pedidos das filhas, e Kate e Pippa tornaram-se alunas internas.

Esquerda para direita: Pippa, Carole e Kate

Enquanto ainda estudavam na escola St Andrews, uma figura ilustre visitou a escola. Era o jovem Príncipe William de Gales, que fazia parte da equipe de hockey da escola preparatória Ludgrove. O time dele foi até St Andrews para uma partida contra os locais. Ávida por esportes, não é difícil imaginar que Kate era uma das várias crianças que assistiram à partida naquele dia.

Aos 13 anos de idade, Catherine despediu-se da querida escola St Andews para dar um passo maior em sua educação. Anos mais tarde, já como membro da realeza, ela retornou a Pangbourne e realizou um discurso, revelando que pensou em tornar-se professora (assista ao vídeo legendado aqui).

Em seguida, Kate foi para Downe House, uma escola famosa por seus rankings no esporte. Dessa vez, ela optou por estudar apenas durante o dia e morar com sua família. No entanto, a futura Duquesa não conseguiu se enturmar com o restante das meninas, acredita-se que justamente por não ser interna. Há rumores que ela tenha sofrido bullying durante o tempo que passou lá. De qualquer forma, a experiência não foi positiva, e Kate mudou de escola na metade do ano letivo.

Em 1996, Catherine, com 14 anos na época, ingressou na renomada Marlborough College, onde passou a conviver com jovens das mais altas esferas da sociedade inglesa. Na ocasião, a recém-chegada teria ficado nervosa por causa do hábito dos meninos mais velhos de dar publicamente notas de 1 a 10 para as garotas, escrevendo os números num guardanapo na hora do jantar. Jessica Hay, colega de Kate, afirmou a um tabloide que a futura Duquesa só ganhou notas 1 e 2.

Catherine sempre foi muito doce e gentil, tratava todo mundo bem. Era uma boa menina e muito bem-comportada, estava sempre fazendo o que era certo, e gostava muito, mas muito de esportes. Não vou dizer que ela era a mais brilhante, mas se esforçava muito. Duvido que você encontrasse alguém que falasse mal dela”, recorda a colega Kathryn Solari. Na Marlborough College, Kate destacou-se no hóquei, tênis, netball e corrida cross-country.

No entanto, tudo mudou no outono de 1998 quando Kate retornou a Marlborough em seu último ano do ensino médio. Tinham deixado de existir os dias do rosto pálido, do cabelo desarrumado e da imagem de CDF. Ela havia se transformado numa das garotas mais atraentes da escola.

Após graduar-se no ensino médio com excelentes notas, Kate foi para Florença, Itália, em setembro de 2000 para realizar um curso de italiano em 12 semanas no British Institute. Era o início de seu ano sabático. Após o fim do curso, ela participou de um desfile de moda organizado pela Johns Hopkins University.

Catherine também foi ao Chile participar de um trabalho voluntário, meses antes do Príncipe William. Além disso, trabalhou em uma marina em Southampton e passou férias com a família em Barbados, o que fazia quase todo verão.

Ela ingressou na Universide de St Andrews, no leste da Escócia, em 2001 para estudar história da arte – assim como o Príncipe William queria, a princípio. Ela se tornou parte do grupo de amigos do príncipe pouco a pouco, sendo convidada a dividir um apartamento com ele no ano seguinte com mais dois amigos.

Acredita-se que o divisor de águas no relacionamento dos dois tenha ocorrido durante um desfile beneficente em St. Andrews, quando Kate desfilou usando um vestido preto de renda sobre um sutiã preto e calcinha preta.

Em 31 de março de 2004, finalmente, o casal foi flagrado esquiando junto nas montanhas Klosters, na Suíça. O relacionamento teria florescido entre finais de semana na propriedade da Rainha Elizabeth, o Castelo de Balmoral e em casas de campo. Os dois também viajariam juntos para a Quênia no verão de 2005.

Em 23 de junho de 2005, Kate e William se formaram pela Universidade de St. Andrews, em História da Arte e Geografia, respectivamente, em cerimônia com a presença da Rainha Elizabeth II, Príncipe Charles e sua esposa Camilla.

A partir daí, Kate passaria a viver em Londres, em um apartamento no bairro Chelsea, enquanto William se preparava para iniciar sua carreira militar na Royal Military Academy Sandhurst.

Como namorada do futuro rei do Reino Unido, Kate se tornou um alvo frequente das lentes de paparazzi. Quase diariamente ela era fotografada em diversas circunstâncias, como saindo de casa, fazendo compras e indo a boates com sua irmã e amigos.

Com a rotina exposta e detalhada na imprensa, Kate recebeu inúmeras críticas, na época. Diziam que a própria Rainha Elizabeth concordava que ela deveria ter um emprego fixo. Após algumas tentativas mal-sucedidas de conseguir emprego em galerias de arte, Kate conseguiu uma posição na loja Jigsaw, em Londres, onde trabalhou como compradora de acessórios. Ela trabalhava em dias flexíveis de 9h às 18h. Belle Robinson, proprietária do estabelecimento, revelou: “Houve dias em que havia equipes de TV no final da rua. Nós dizíamos: ‘Ouça, você quer sair pelos fundos?’ E ela dizia: ‘Para ser honesta, eles vão nos perseguir até que tenham a foto. Então, por que eu não vou, tiro a foto e depois eles nos deixam em paz.’ Achei que ela era muito madura… e acho que ela tem sido muito boa em não cortejar a imprensa nem mostrar os dedos para eles. Acho que eu não teria sido tão educada.”

Em abril de 2007, os jornais noticiaram o término do namoro de William e Kate. Segundo a imprensa, enquanto Kate pedia um compromisso maior da parte de William, o militar recém saído de Sandhurst ainda não queria se estabelecer. Muitas pessoas esperavam o anúncio do noivado e surpreenderam ao saber que a relação estava se desgastando.

Acredita-se que uma das peças-chaves para a reconciliação dos dois foi a forma que Kate apareceu na mídia algum tempo depois do rompimento. Ela não quis dar entrevistas sobre o assunto e aparecia alegre e acompanhada de amigos nas baladas. A imprensa dizia que ela havia superado o fim do relacionamento e que estava usando saias mais curtas.

Kate se uniu a um grupo de garotas que planejavam remar no rio Tâmisa e angariar fundos para caridade. As meninas do Sisterhood tinham uma rotina intensa de exercícios ao ar livre, e não demorou muito para que a imprensa começasse a publicar fotos dos treinos nos jornais e nas revistas.

Enquanto isso, William teria procurado Kate e eles se reconciliaram. A confirmação veio quando Kate compareceu com seu irmão, James, ao evento Concert For Diana, apenas algumas fileiras atrás de William e Harry.

Kate acabou desistindo de remar com as meninas do Sisterhood, supostamente por pressão do Palácio.

Com o relacionamento firme novamente, voltou-se a especular sobre quando o casal se uniria em matrimônio. Com William cada vez mais comprometido em seu trabalho nas Forças Armadas, o momento nunca parecia apropriado. Ao mesmo tempo, Kate tinha dificuldade de encontrar um trabalho de tempo integral adequado. Sua experiência trabalhando durante cerca de um ano na loja Jigsaw rendeu momentos estressantes tanto para ela quanto para o restante das funcionárias. Os paparazzi seguiam-na diariamente até o estabelecimento e ficavam de plantão na porta, aguardando que ela saísse.

Apaixonada por fotografia, Kate procurou o conceituado fotógrafo Alistair Morrison, cujo trabalho ela admirava na Galeria Nacional de Retratos, em Londres. Com a mentoria dele, Kate planejou cautelosamente a curadoria de uma exposição, lançada na inauguração do Shop at Bluebird em Chelsea, em Londres. Carole, Michael e James foram à festa de abertura, mas William ficou de fora até o final da noite, não querendo ofuscar sua namorada.

Nessa época, os jornais apelidaram Kate de Waity Katie, algo como Kate À Espera, em português, alegando que ela vivia à espera do pedido de casamento.

Ciente dos danos causados pelo apelido, Carole decidiu levar a filha para trabalhar junto dela na Party Pieces. Ela precisava de alguém para fotografar um novo catálogo e ajudar a configurar os Primeiros Aniversários, uma nova seção no site. Kate estava perfeitamente preparada para fazer as duas coisas.

A Party Pieces tinha uma conexão com a Starlight, uma instituição de caridade para crianças no Reino Unido, e Carole enviava regularmente sacolas de aniversário com tema “príncipe e princesa” para hospitais e enfermarias infantis em todo o país. Kate passou a se envolver também com a instituição.

Mais tarde, o CEO, Neil Swan, disse: Kate estava trabalhando com a Party Pieces na época, e ela teve uma ideia inteligente para uma bolsa de festa que dobrava como um presente para colorir. Ela também desenhou alguns giz de cera com tema Starlight e outros itens para ir nas bolsas. Para nós, ela era apenas Kate, e nós íamos ter reuniões com ela no Party Pieces, e às vezes ela vinha até nós. Ela veio com muitas ideias criativas para festas que estávamos organizando para crianças doentes e fez muito trabalho abaixo do radar.”

No início de 2010, William foi enviado para Anglesey, uma ilha no País de Gales, para uma base aérea da Real Força Aérea (RAF). Kate se juntou a ele, e o casal alugou uma casa de fazenda na propriedade de Bodorgan, pertecente ao Lord e à Lady Meyrick.

Kate havia renunciado a seu emprego na Party Pieces e vivia uma vida de casal com William. Ela passava os dias tirando fotografias, passeando na praia e fazendo uma exposição do seu trabalho, tendo tido a ideia de fazer uma exposição fotográfica e angariar fundos para caridade. Muitas vezes, sua única companhia eram os oficiais de proteção de William, um grupo sempre divertido. Todos notaram como Kate estava feliz nessa fase de sua vida.

Antes de William pedir Kate em casamento, ele queria ter certeza de que era o que ela realmente queria. Ao viverem juntos, Kate poderia decidir se era isso que ela queria, e como William mais tarde lembrou, “sair” se não fosse o que queria.

No início de outubro de 2010, William e Kate viajaram secretamente ao Quênia. Ao fim da viagem, William levou Kate para um remoto chalé de madeira perto do grande Lago Rutundu. Nas margens do lago, William se ajoelhou e pediu Kate em casamento com o icônico anel de diamantes e safira da Princesa Diana.

Quando retornaram ao Reino Unido, William convidou os pais de Kate para passar um fim de semana em Birkhall, na Escócia. Lá, William pediu a permissão do pai de Kate para se casar com ela. Sem um momento de hesitação, Michael deu sua bênção a William. Como parte do protocolo, William também pediu permissão à Rainha para se casar com Kate.

Na manhã de 16 de novembro de 2010, Kate e William ligaram para a família para revelar que fariam o anúncio oficial. Primeiro, eles ligaram para a Rainha, que tomava café com o Duque de Edimburgo, depois para Charles e Camilla, e por fim, Harry, que estava em uma base militar em Hampshire. Os Middletons também foram informados.

Às 11h da manhã daquele dia, um comunicado oficial foi lançado para a imprensa, assim como nas recém-lançadas redes sociais da Família Real. “O Príncipe de Gales tem o prazer de anunciar o noivado do Príncipe William com a senhorita Catherine Middleton. O casamento acontecerá na primavera ou no verão de 2011 em Londres.”

Os noivos se sentaram para uma entrevista com o jornalista Tom Bradby, da ITV News, uma tradição iniciada por Charles e Diana 30 anos antes. A entrevista de 15 minutos foi assistida por um recorde de 3 bilhões de pessoas em todo o mundo naquela noite. Incrivelmente, era a primeira vez que Kate falava publicamente.

William revelou que eles estavam conversando sobre casamento há algum tempo. “Nós conversamos sobre hoje por um tempo… por pelo menos um ano, se não mais. Era só encontrar o momento certo.” Kate admitiu ter ficado genuinamente chocada quando William a pediu em casamento. “Foi muito romântico. […] Foi um choque total quando veio e muito emocionante.”

Quando perguntada sobre a falecida sogra, Kate disse: “Obviamente, eu adoraria tê-la conhecido”. William interveio: “Não há pressão”, ele insistiu. “Ninguém está tentando ocupar o lugar da minha mãe – o que ela fez foi fantástico. Trata-se de fazer seu próprio futuro e seu próprio destino, e Kate fará um trabalho muito bom nisso.”

Eles falaram sobre a importância da família e como esperavam começar a sua própria no futuro. “É muito importante para mim e espero que possamos ter uma família feliz”, disse Kate. “Teremos que começar a pensar nisso”, acrescentou William.

Em seguida, o casal foi para a sala de Estado com alguma apreensão para a sessão de fotos oficial. Usando um vestido azul assinado pela brasileira Daniella Helayel da Issa, Kate se apresentou como Catherine e alegremente exibiu seu anel. “Tenho certeza de que todos vocês o reconhecem”, disse William.

O casamento foi marcado para 29 de abril de 2011, na Abadia de Westminster. O evento foi assistido por 2,5 bilhões de pessoas ao redor do mundo, um recorde. O vestido e seu fabricante não foram anunciados oficialmente até a noiva sair de seu carro para entrar Abadia pouco antes do casamento.

Após a cerimônia, os noivos deixaram a Abadia de Westminster em uma carruagem aberta, sendo seguidos por seus pais, padrinhos, damas de honra, pajens, pela Rainha, pelo Duque de Edimburgo e pela Duquesa da Cornualha, todos também viajando em carruagens. A procissão passou por uma rota que incluía The Mall e Whitehall, e terminou no Palácio de Buckingham. Às 13:25, os noivos apareceram na sacada do Palácio de Buckingham e trocaram dois beijos, sendo ovacionados pela multidão.

O anúncio de seu primeiro filho, futuro rei da Inglaterra, aconteceu em dezembro de 2012, e seu nascimento em 22 de julho de 2013, no hospital St. Mary, em Londres. Seu nome, George Alexander Louis, foi anunciado dois dias após seu nascimento.

A segunda filha do casal, Charlotte Elizabeth Diana, nasceu em 02 de maio de 2015, também em Londres.

O terceiro filho do casal, Louis Arthur Charles, nasceu em 23 de abril de 2018, em Londres.

Atualmente, Kate se dedica aos seus deveres reais e à vida em família. A Duquesa apoia várias instituições de caridade e está sempre as visitando e acompanhando de perto.


Bibliografia: JOSEPH, Claudia. Kate: nasce uma princesa. 1 ed. Best Seller, 2011.

NICHOLL, Katie. Kate: the future queen. 1 ed. Weinstein Books, 2013.