Archive for



postado por Amanda Gramazio e categorizado como Matérias
19.09.2020

Na segunda-feira, a Duquesa de Cambridge revelou um projeto especial: Hold Still é composto por 100 retratos tirados por 100 britânicos diferentes durante a quarentena do coronavírus no país. Eles narraram o mundano (um casal cortando o cabelo um do outro), o edificante (Tom Moore, o capitão do exército de 100 anos que arrecadou mais de 30 milhões de libras em ajuda caminhando em seu jardim) e o doloroso (“Isso foi tirada no dia mais triste de nossas vidas, quando nosso pai morreu em 22 de março de 2020 ”, começa uma entrada intitulada “coração partido”). A reação do público ao projeto foi extremamente positiva, especialmente da própria Rainha: “Foi com grande prazer que tive a oportunidade de olhar alguns dos retratos que fizeram as 100 imagens finais para o projeto de fotografia Hold Still”, ela disse em um comunicado de Balmoral.

Março de 2020 foi um período difícil para a família real, para dizer o mínimo. O Duque e a Duquesa de Sussex fizeram sua última aparição oficial e mudaram-se para os Estados Unidos. O Príncipe Charles foi diagnosticado com COVID-19. A Rainha, a matriarca da monarquia, foi para o Castelo de Windsor, quando a cidade de Londres se tornou cada vez mais perigosa para os idosos. (“Estaremos com nossos amigos novamente, estaremos com nossas famílias novamente, nos encontraremos de novo”, disse ela calmamente em um raro discurso nacional.) A família real, outrora um grupo de superestrelas globais que apertavam as mãos, de repente se encontraram como meros pares de rostos famosos separados – exceto para os Cambridges.

Então, simplesmente assim, William e Kate se tornaram as principais figuras da realeza de um país em crise. Eles fizeram uma visita socialmente distanciada aos motoristas de ambulância do Serviço Nacional de Saúde (NHS), visitaram filhos de trabalhadores essenciais, defenderam iniciativas nacionais sobre saúde mental e aplaudiram os profissionais da saúde fora da casa da família de Norfolk. E eles compartilharam retratos e mais retratos de seus filhos: a corajosa Charlotte, entregando refeições para seus vizinhos idosos; o pequeno Príncipe Louis, pintando arco-íris com os dedos; o encantador príncipe George, sorrindo em uma camiseta camuflada; todos os três brincando desordenadamente com o pai. Embora a duquesa fosse franca sobre a realidade das crianças presas: “Louis não entende o distanciamento social!” ela disse à BBC. Ela também admitiu que estudar em casa era “um desafio” e que ignorou as férias da Páscoa porque era mais fácil manter uma programação dessa forma. “Eu me senti muito malvada”, disse ela.

Isso não quer dizer que nada deu errado, em termos de publicidade, para a duquesa durante este período. No final de março, Tatler publicou uma história sobre a duquesa, alegando, entre muitas coisas, que ela estava “furiosa” com o aumento da sua carga de trabalho após a partida de Harry e Meghan. O Palácio de Kensington rebateu a publicação: “Esta história contém uma série de imprecisões e falsas representações que não foram apresentadas ao Palácio de Kensington antes da publicação”, disse um porta-voz – e buscou uma ação legal. (Em uma declaração, a Tatler manteve sua reportagem.)
Ainda assim, em uma pesquisa recente do YouGov, Kate Middleton foi classificada como o segundo membro mais popular da família real, apenas eclipsada pela própria rainha.

É pertinente mencionar que outra coisa fora do radar, mas significativa, aconteceu em abril: os Cambridges contrataram o antigo gerente de mídia social de Harry e Meghan depois que os Sussex deixaram a vida real. Enquanto outras contas reais estavam cheias de imagens licenciadas, @sussexroyal tinha sido, bem, interessante. Havia fotos sinceras de Harry e Meghan de mãos dadas no iPhone, fotos em preto e branco, cartões de citações com fontes esteticamente agradáveis. Um dia eles até postaram uma foto artística do pé de Archie ao lado de algumas flores. Por um tempo, a conta Sussexes foi a que mais cresceu no Instagram.

Com certeza, técnicas semelhantes de mídia social surgiram na conta de Cambridge, @kensingtonroyal. Lá estão William e Kate de costas para a câmera, a mão de Kate ternamente nas costas de William. Uma foto no iPhone de um copo de cerveja e um pouco de curry, para divulgar a aparição de William no Podcast That Peter Crouch. Um print de tela de um e-mail enviado pela duquesa, informalmente assinado “C”. Depois, havia a postagem viral que justapunha duas fotos do Príncipe Louis: uma, dele pintando pacificamente a dedo; o outro, espalhando a dita tinta por todo o rosto. Eles colocaram a legenda com uma frase de efeito da Internet: “Instagram vs. realidade”. O casal ganhou mais de 8.400 seguidores no Twitter naquele dia. Lentamente, mas com segurança, o casal, e transitivamente, Kate, foi compondo uma moeda incrivelmente valiosa: seguidores investidos, a versão de 2020 de súditos leais.
Com suas coroas e castelos, ser um membro da realeza é um show glamoroso. Mas isso não significa que seja fácil. A pressão pública é imensa, os tablóides são implacáveis e o direito à privacidade está por um fio. Pode ser especialmente assustador quando você não nasceu na loucura inata: a princesa Diana admitiu que se sentiu despreparada para lidar com o repentino holofote que veio com o príncipe Charles.

A Duquesa de Sussex, cercada pela atenção negativa da mídia, talvez sabiamente tomou a decisão conjunta com seu marido de que a vida com título não valia a pena. Ainda com reserva polida, Kate Middleton marcha em saltos L.K Bennett. “Kate entende o que se espera que ela faça”, diz a historiadora real Sally Bedell Smith. “Ela entende que o compromisso dela é para toda a vida.”
Bedell também aponta que a duquesa descobriu como tornar o quase impossível, possível: “Ela também tem uma habilidade natural de combinar acessibilidade e dignidade com uma mística real que protege sua privacidade – uma linha difícil de navegar”, diz Smith. Por exemplo, quando ela compartilhou uma série de fotos de seus filhos nas redes sociais, ela foi a fotógrafa por trás das fotos. Cada legenda era composta de texto cuidadosamente redigido. No final do dia, Kate controlou a narrativa.

Em uma entrevista reveladora de 1995 com a BBC, o entrevistador Martin Bashir perguntou à princesa Diana como ela lidava com seu recém-descoberto status real. “Era solitário, mas também era uma situação em que você não podia se permitir sentir pena de si mesmo”, disse ela. “Você tinha que afundar ou nadar.” Nove anos depois, a duquesa de Cambridge está nadando forte.

 

Fonte: Vogue

postado por Amanda Gramazio e categorizado como Eventos
11.03.2020

Kate e William se reuniram com Sua Majestade, A Rainha, e outros membros da Família Real – incluindo o Príncipe de Gales, a Duquesa de Cornualha, o Duque e a Duquesa de Sussex, e o Conde e a Condessa de Wessex – nessa segunda- feira (09 de março de 2020) para a celebração do Dia da Commonwealth na Abadia de Westminster.

A Duquesa, que acaba de voltar de uma turnê pela Irlanda, compareceu usando um vestido vermelho de Catherine Walker, que já tínhamos visto no Natal de 2018, complementando o visual com um chapéu floral de Sally-Ann Provan e sapatos de camurça.

A Commonwealth funciona, por 71 anos, como uma união entre 54 países com o objetivo de integração entre eles e busca de mesmos ideais a reunião dessa associação acontece tradicionalmente na 2ª segunda – feira de março e teve como tema esse ano; “Entregando um futuro comum: conectando, inovando, transformando” como foi anunciado em janeiro de 2020 no site oficial da Commonwealth:

Esse tema foi escolhido porque os governos e as pessoas de nossa diversificada família de 54 países da Commonwealth se conectam em vários níveis por meio de redes extensas e profundas de amizade e boa vontade.
Juntos, os países e as pessoas da Commonwealth, enfrentam as mudanças climáticas e seus impactos. Trabalhamos para encontrar maneiras sustentáveis ​​de usar os recursos naturais de nosso planeta, suas terras e oceanos, para que nosso ambiente seja protegido.
Juntos, trabalhamos para construir paz e harmonia através do desenvolvimento social e democrático.
Juntos, incentivamos o empoderamento econômico inclusivo e o comércio justo, para que todas as pessoas, principalmente mulheres, jovens e pessoas de comunidades marginalizadas possam compartilhar os frutos do progresso e da prosperidade.
Juntos, estamos entregando um futuro comum conectando, inovando e transformando nossas sociedades.
Dia da Commonwealth 2020

O evento também foi último dever real do casal de Sussex, que deve voltar para o Canadá em breve.

Veja +400 fotos em HQ:

postado por Amanda Gramazio e categorizado como Matérias
29.02.2020

O elegante vestido preto estilo retrô usado por Kate Middleton para uma apresentação de Dear Evan Hansen foi feito sob medida com detalhes bem específicos!
Quando Kate Middleton usou um vestidinho preto clássico no teatro no início desta semana, havia mais de um elemento escondido no design. O vestido preto estilo bouclé da década de 1950, que apresentava uma saia plissada e botões brilhantes, da Eponine London , uma marca britânica de alta costura, exibia um forro floral escondido e uma discreta troca de botões. “O interior desse vestido é simplesmente espetacular”, disse Jet Shenkman, fundadora e diretora da marca, à PEOPLE. “Acho que um vestido precisa ser tão luxuoso por dentro quanto por fora – e o dela exibia uma linda estampa de cow parsley* apenas com as flores.”


Kate estava participando de uma performance especial de Dear Evan Hansen no Noel Coward Theatre, ao lado do príncipe William na terça-feira, a mãe real acrescentou um toque de brilho ao vestido discreto, com saltos brilhantes Jimmy Choo e uma bolsa combinando. “Foi muito bonito e adorável vê-la de preto, achei que foi uma mudança agradável”, revela a ex-estilista, que mora em Kensington, mesmo bairro de Kate em Londres. Originalmente na coleção Outono / Inverno 2018 da estilista, o vestido, que exibia um brilho sutil, tinha coincidentemente um tema real muito antes de Kate ter olhado para ele, com botões de coroa. “Decidimos mudar os botões e usar algo um pouco mais brilhante”, confirma Shenkman, acrescentando que os botões originais de coroa “não seriam totalmente adequados“.

Fundada em 2012, a Eponine London (batizada em homenagem a personagem Les Misérables favorito da familia da estilista) foi usada por Kate várias vezes desde que descobriu a pequena marca em 2016, quando vestiu um terninho de guingão retrô vermelho e branco da marca. “Isso literalmente mudou nossos negócios da noite para o dia”, lembra Shenkman. “Nós nunca, nunca achamos que era algo garantido – é realmente o maior elogio para nós e nos sentimos muito gratos.”
Embora a designer permaneça de boca fechada sobre o envolvimento de Kate no processo de design, ela diz que a maioria de seus clientes de alta costura a visita várias vezes – para uma consulta inicial, um acessório e pelo menos um acessório mais adequado, às vezes dois . “Prefiro permanecer discreta sobre os detalhes, mas posso dizer que ela é incrivelmente legal, muito calorosa e muito gentil, realmente como ela aparece em público”, ela comenta. Recentemente, a loja também começou a vender roupas prontas para vestir, todas disponíveis para compra on-line.

Kate foi elogiada nos últimos meses por elevar seu estilo de moda com um visual mais moderno e ousado, incluindo o início de uma tendência em chapelarias com seu amor pelas bandanas retrô.
“Houve um pouco mais de experiências em desenvolvimento, que eu acho realmente adorável, mas acho que ela é bastante consistente com o que veste”, observa Shenkman, que também administra uma instituição de caridade local de saúde mental em seu tempo livre. “Ela gosta de vestidos macios, cortados na cintura, acho que ela realmente acertou em cheio!”

Recebendo pedidos do mundo inteiro desde o evento no teatro de terça-feira, a designer, especializada em usar tecidos de todo o mundo (este era de uma fábrica francesa que pertencia à Coco Chanel), diz que não podia estar mais orgulhosa trabalhar com Kate.
“As pessoas costumavam me perguntar quem seria o meu cliente dos sonhos e eu sempre dizia a duquesa de Cambridge – quando isso se tornou realidade, era simplesmente incrível – que ótima história para contar aos meus netos quando crescerem!” ela diz.

 

Matéria por Monique Jessen   para PEOPLE

* cow parsley; uma planta comum na Europa conhecida no Brasil como Salsa de Vaca ou Salsa Selvagem

 

postado por Amanda Gramazio e categorizado como Eventos
04.02.2020

No último domingo, 02 de fevereiro, aconteceu no Royal Albert Hall, em Londres,  a 73ª edição do British Academy Film Awards ou BAFTA Film Awards,  premiação anual realizada pela Academia Britânica de Cinema e Televisão (BAFTA). O evento contou com a ilustre presença do Duque e da Duquesa de Cambridge.

Esse ano a premiação teve um pedido de “sustentabilidade” no vestuário. Os convidados foram solicitados a usar roupas repetidas ao invés de comprarem ou mandarem fazer novas para o evento. A Duquesa atendeu ao pedido da organização, vestindo um vestido Alexander McQueen branco e dourado, que Kate já havia usado durante a Diamond Jubilee Tour em 2012 na Malásia.

A Duquesa finalizou o visual da premiação com um coque, um par de delicados brincos de ouro, um colar feito de pétalas de prata e uma bolsa de dourada brilhante. Ao seu lado O Duque de Cambridge estava muito elegante em um smoking preto e gravata borboleta.

O casal andou sorridente pelo tapete vermelho ao chegar na premiação. Como presidente dos BAFTAs,  o Duque fez sua tradicional apresentação do Fellowship Award, prêmio que todo ano homenageia uma lenda do cinema e esse ano foi entregue a Kathleen Kennedy (Star Wars, E.T, O Curioso Caso de Benjamin Button). Confira a discurso de William, onde além de homenagear Kathleen, ele comenta a importância da diversidade na indústria;

“ Boa noite! Catherine e eu estamos muito encantados de estar aqui com todos vocês essa noite. Essa noite nós celebramos outro ano com filmes excepcionais e eu estou emocionado com todos os filmes que estão sendo aqui reconhecidos. Eu estou particularmente orgulhoso de estar aqui essa noite como Presidente dos BAFTAs pelos últimos 10 anos. Por outro lado, devo admitir, eu não sei se devo estar orgulhoso ou ligeiramente preocupado com o número de vencedores da última década que traíram membros da minha própria família! Aqui no Reino Unido, e em muitos outros países ao redor do mundo, temos sorte de ter incríveis produtores,  atores , produtores e diretores, homens e mulheres, de todos os lugares e etnias enriquecendo nossas vidas por meio dos filmes. Ainda em 2020, e não pela primeira vez nos últimos anos, nós ainda estamos debatendo sobre o quão é necessário fazer mais para garantir a diversidade no setor e em premiações, isso não está certo a essa altura. Eu sei que Pippe, líder dos BAFTAs e Amanda, CEO dos BAFTAs compartilham essa frustração e continuam trabalhando incansavelmente para garantir que o talento criativo seja visto e apoiado. BAFTAs leva essa questão muito a sério e reflete nas nomeações desse ano que passaram por todo uma avaliação durante todo processo para garantir que as oportunidades fossem as mesmas para todos. Agora de volta aos prêmios, um dos grandes privilégios que eu tenho como presidente é apresentar o Fellowship Award, a maior honra que a academia pode oferecer. Esse ano o prêmio vai para uma figura simplesmente lendária dos cinemas. Alguns dos seus filmes eu assisti por toda minha vida e continuo assistindo várias e várias vezes. Eu não poderia estar mais feliz que ela está recebendo esse prêmio. Para falar mais sobre sua carreira memorável por favor recebam, Daisy Ridley e John Boyega”

postado por Amanda Gramazio e categorizado como Eventos
21.01.2020

O Duque e a Duquesa de Cambridge, juntamente com outros membros da realeza, o Príncipe Edward, sua esposa Sophie, condessa de Wessex e a Princesa Anne, compareceram a um charmoso evento nessa terça-feira 20 de Janeiro,  no Palácio de Buckingham em nome da Rainha para marcar o início da Cúpula de Investimento entre África e Reino Unido .

Kate estava usando um vestido vermelho brilhante de £ 410 da loja Needle & Thread uma marca conhecida por ser uma das favoritas da Princesa Beatrice. Os sapatos Gianvito Rossi, que custam £ 510. A Duquesa completou o visual com uma bolsa vermelha que combinou perfeitamente com seu vestido e um glamouroso par de brincos de rubi.  O Príncipe William, combinou com a esposa em um elegante terno azul-marinho e uma gravata vermelha.

Essa noite foi particulamente especial para William na longa preparação para ele se tornar rei. O Duque de Cambridge  recebeu o apoio de sua esposa Kate e dos outros membros da Família Real presentes quando recebeu 21 delegações africanas na casa da Rainha em Londres. Em seu discurso, William mencionou a importância do continente Africano em sua história, recoordando que foi o primeiro lugar que seu pai, o Príncipe Charles levou ele e seu irmão Harry após da morte de sua mãe,  a Princesa Diana, e de como não podia pensar em lugar melhor para pedir a mão de Kate em casamento que o Quênia, como fez em outubro de 2010.

Confira +70 imagens em HQ do evento: